domingo, 11 de agosto de 2019

Capítulo 4 - Jornadas: Em Busca dos Imortais

30 DE OUTUBRO DE 2018, CARTUM, SUDÃO, 11:48

- Tinha que ser um rinoceronte de novo?! - gritou Oliver, congelando o elemental dos Animais, o qual havia perdido o controle durante a execução da técnica de conexão com Faunum. Quinze minutos depois, Marco retornou para a sua forma humana e o elemental do gelo desfez o bloco que o prendia.
- Eu sinto muito Oli - disse Marco - Mas, pensando bem, isto pode ser um sinal!
- Como assim?!
- Bem, nós já fizemos algum progresso e, desde que cruzamos o estreito de Gibraltar eu sinto uma conexão mais forte com o meu Imortal. Além disso, este não é qualquer tipo de rinoceronte, é um Ceratotherium Simum Cottoni!
- Claro! Isso explica tudo...
- Desculpa - respondeu Marco, percebendo a expressão confusa no rosto de Oliver - É um rinoceronte branco do norte!
- Tudo bem, mas eu ainda não entendi como isso pode ser um sinal! Há milhares de rinocerontes aqui, afinal estamos na África!
- Eu sei, mas essa não é qualquer espécie! - disse Marco, animado - É uma espécie tecnicamente extinta! Acho que, inconscientemente, Faunum está nos dando uma pista de onde ele está!
- Que ótimo - respondeu Oliver, agora também animado - E onde ele está?
- Bem, os últimos animais desta espécie viviam em um conservatório da vida selvagem no Quênia, então ele deve estar no conservatório ou em algum lugar próximo!
- Você tem certeza disso?
- Não... mas é o melhor palpite que nós temos até agora! - disse Marco, decidido - Eu tenho certeza que esse é um rinoceronte branco do norte e isso não pode ser mera coincidência!
- Tudo bem Marco, eu acredito no seu julgamento! Bem, então vamos fazer o seguinte: compraremos entradas para o conservatório, então tentaremos outra conexão com o seu Imortal. Se o seu palpite estiver certo, como eu tenho certeza que está, você será capaz de estabelecer e manter a conexão com Faunum - disse Oliver, acessando o celular - Qual o nome do conservatório e da cidade para a qual nós vamos?
- Ol Pejeta, em Nanyuki.
- Ótimo! Um momento - disse Oliver, digitando no celular - Pronto! Temos entradas para o conservatório!
- Finalmente! Após mais de dois meses de busca, nós finalmente vamos encontrar Faunum e você vai poder ver o Ethan de novo! - disse Marco - Eu me sinto culpado por manter você longe dele por tanto tempo, pois eu sei que você deve estar morrendo de saudade, mas eu agradeço muito por você se oferecer para me acompanhar nessa jornada!
- Imagina! É claro que eu estou sentindo falta do Ethan, mas eu estou adorando esse tempo em que nós estamos na estrada! Afinal, apesar de morarmos no mesmo lugar a maior parte do ano, eu sinto que nós quase não conversamos!
- Isso é verdade, também sinto que pudemos nos conectar nesses dois meses! Acho que acabamos nos concentrando em alguns grupos específicos nesse tempo em que moramos juntos, mas isso deveria mudar!
- Exato! Há poucas pessoas que realmente entendem o que é lidar com os nossos problemas numa base diária e vocês são e sempre serão parte da minha família, então é muito importante que nós fortaleçamos nossos vínculos! Por exemplo, sem esse tempo na estrada eu nunca confirmaria os rumores de que você e a Alba estavam realmente tendo algo!
- Sim! - confirmou Marco, rindo - Entre outras coisas...
- Você está se referindo ao fato de que você também tem uma queda pelo Themba? - disse Oliver, com uma expressão conspiratória - Com certeza essa foi uma grande surpresa para mim!
- Por que? Você já olhou bem para ele? Não tem como não ficar a fim dele!
- Bem, ele com certeza é muito bonito - respondeu Oliver - Mas a minha surpresa é mais pelo fato de você ser bissexual! Eu não diria só de olhar para você e com todos os rumores sobre você e a Alba... Mas isso não importa, o que eu realmente quero saber é quando você se "descobriu"? - finalizou Oliver, realizando o gesto de aspas com as mãos - Eu não gosto do termo, mas é o mais simples de se usar.
- Eu também não gosto desse termo - respondeu Marco - Mas, respondendo à sua pergunta, eu compreendi que eu tinha interesse por garotos quando eu tinha 14 anos! Eu sempre tive uma queda pelo Themba, mas há algum tempo atrás eu e a Alba estávamos conversando e, quando nos demos conta, estávamos ficando. A Alba é incrível e ela me fez perceber que, de fato, eu também gosto de garotas!
- Interessante! - disse Oliver - Então você ficar com garotas é algo mais recente! A Alba é uma garota de sorte!
- Exato e está sendo ótimo! Mas, e para você? Como foi esse processo?
- Quando chegou o momento em que as pessoas geralmente começam a se interessar por pessoas do sexo oposto, eu percebi que quem me chamava a atenção eram os garotos na escola. Mas para mim foi um processo bem natural e, quando eu tinha 16 anos, eu contei isso para os meus pais. Eles trataram o assunto de maneira muito tranquila. A parte mais estranha, na verdade, foi ter que conversar sobre relações sexuais - disse ele rindo - Você sabe como meus pais são detalhistas! Foi quase uma palestra!
- Os seus pais são hilários - respondeu Marco, também rindo - Eu posso imaginar como foi! Mas eu fico feliz que tenha sido tranquilo! E quanto ao Ethan? Como ele reagiram a isso?
- Antes de viajarmos para Los Angeles eu já tinha comentado com eles sobre sentir algo diferente pelo Ethan e eles reagiram bem, mas me pediram para ter cuidado, pois o Ethan poderia não corresponder aos meus sentimentos. Depois que voltamos para casa eu conversei brevemente com eles sobre a possibilidade do Ethan ter correspondido aos meus sentimentos, mas como eu estava confuso naquele momento, eu não entrei em mais detalhes. Mesmo assim eles ficaram muito felizes com a possibilidade! Os meus pais são incríveis, acho que eles me entendem até melhor que eu mesmo! E quanto aos seus pais, eles sabem sobre como você se sente em relação a garotos e garotas?
- Infelizmente, eu ainda não tive coragem de conversar com eles... - respondeu Marco - O meu pai é uma pessoa extremamente preconceituosa e eu não sei até que ponto eu estou preparado para lidar com essa conversa! A minha mãe, por outro lado, eu acho que teria dificuldade inicial de compreender esse conceito de bissexualidade, mas, no fim, eu acho que iria me acolher. A única coisa que me impede de contar a ela é o fato de saber que ela não consegue esconder nada do meu pai, então eu decidi que vou esperar para contar quando eu me sentir preparado para fazer isso para ambos! 
- Você está certo! Conte quando você sentir que está preparado e quando sentir que deve! Enquanto isso, viva a sua vida como achar melhor! Talvez o fato de você morar longe deles a maior parte do ano seja positivo nesse aspecto, já que você não precisa "esconder" coisas deles, embora eu imagine a saudade que você deve sentir!
- Realmente! Eu amo os meus pais e sinto saudade deles todos os dias! Mas, nesse aspecto, estar longe é uma coisa boa. Assim eu posso descobrir melhor quem eu sou!
- Bom, eu fico feliz que você esteja conseguindo se descobrir e espero, de verdade, que os seus pais reajam bem a isso! Porém, seja como for, você sabe que eu, meus pais e os demais elementais estamos aqui para te apoiar no que for preciso!
- Eu sei! E agradeço muito pela forma como vocês me acolheram!
- Nós é que agradecemos por você aceitar ser parte da nossa família! Bem, voltando ao presente, estou animado para cumprir a minha promessa de te ajudar a encontrar o seu Imortal, o que eu continuaria a fazer mesmo se levasse vários meses, porém, não posso negar que eu espero, do fundo do meu coração, que nós estejamos perto de achá-lo! - finalizou Oliver rindo.
- Eu também! - concordou Marco, rindo - Eu não vejo a hora de voltar para casa e encontrar os outros! Por falar nisso, como será que está o progresso deles?

30 DE OUTUBRO DE 2018, PORTO, PORTUGAL, 10:48

- Eu não acredito que estamos quase aperfeiçoando essa técnica! - disse Alba animada - Desse jeito, encontraremos Áeris em breve.
- Pois é! Estamos quase lá! Quem diria que o fato de você quase morrer naquela caverna nos daria a chave para desenvolvermos uma técnica de combinação dos nossos poderes! - respondeu Ethan.
- Precisamente! Enquanto estava enfrentando a criatura na caverna, eu percebi que eu estava conseguindo mediar a intensidade das chamas, porém, como ela estava propositalmente tentando me eliminar, eu acabei sendo "consumida". Porém, como você consegue controlar o fogo, caso ambos estivéssemos empenhados em mediar o processo de combustão, talvez nossos poderes pudessem ser combinados para criar um gás inflamável que pudéssemos controlar para me ajudar a buscar por Áeris! É como dizem, se a vida te der limões, faça uma limonada! - disse Alba rindo.
- Exatamente! Depois que eu aceitei ser seu parceiro nessa jornada, eu refleti melhor e achei que tinha feito a escolha errada, pois os meus poderes não têm qualquer efeito moderador sobre os seus! Você seria muito mais útil em me ajudar a controlar os meus poderes, mas eu não conseguiria fazer muita coisa para ajudar a controlar os seus! Mas, com essa técnica, eu consigo ser quase uma segunda consciência, que te ajuda a se controlar durante o uso dos seus poderes!
- Isso! Valeu à pena termos dedicado mais tempo a essa técnica do que à busca de Áeris em si!
- Eu concordo! Depois do desastre inicial naqueles primeiros dias de busca da sua Imortal, no qual eu tentei te ajudar e acabei fazendo você entrar em combustão, a melhor ideia que tivemos foi tentar aperfeiçoar essa técnica. Demorou quase dois meses e nós ainda estamos em Portugal, mas eu sinto que já temos controle suficiente para tentar uma nova conexão! O que você acha?
- Eu aceito! - respondeu Alba animada - Finalmente vamos sair daqui! Portugal é legal, mas quase dois meses aqui foram suficientes!
- Nossa! Ver você tão animada assim é um lado seu totalmente novo para mim - disse Ethan, rindo - Em Birmingham você era bem mais reservada! Mas é um lado que eu estou gostando muito de conhecer!
- Eu só falo quando eu acho necessário! - respondeu ela indignada.
- Calma! Isso foi um elogio! - respondeu ele, ainda rindo - Você precisa aprender a receber elogios!
- Eu estou trabalhando nisso! Não force a barra ou eu vou ser obrigada a utilizar a única estratégia que eu conheço: agressão física! - disse ela, rindo e socando o ombro do elemental do fogo.
- Ai! - exclamou Ethan - Você tem o desenvolvimento emocional de um ser humano de cinco anos! Precisamos trabalhar nisso urgente!
- Falou a pessoa com desenvolvimento emocional de uma pessoa de... seis anos?
- O que?! Não! - protestou ele - Bem... tudo bem, eu não sou a pessoa mais indicada para te ensinar sobre como lidar com emoções mesmo, mas você precisa trabalhar nisso tanto quanto eu! Talvez por isso a gente se dê tão bem, nós dois temos um couraça para evitar ter que lidar com certas situações.
- É verdade... Mas ambos estamos nos esforçando! Um dia chegaremos no nível dos outros!
- Por falar nos outros, eu não vejo a hora de voltar para casa e poder abraça-los! Eu sinto falta de estarmos todos juntos! Conversando, discutindo, treinando!
- Eu nunca pensei que diria isso, mas eu também estou com saudades dos outros! Não a ponto de coisas como abraços, é claro! Talvez... apertos de mão?
- Tudo bem, eu retiro o que eu disse, até crianças de cinco anos lidam bem com abraços! Talvez você tenha o desenvolvimento emocional de um feto? - respondeu ele rindo.
- Ah não! Isso, com certeza pede por algum tipo de resposta em forma de agressão física!
- Espera! Eu sei de uma pessoa que vê vai querer abraçar e, talvez até mesmo... beijar! - disse ele, simulando uma cara de espanto - Que escândalo! Quem será?
- Eu sabia que não deveria ter te pedido conselhos sobre o Marco! - respondeu Alba, indignada - Mas você realmente parece uma pessoa bem sensata, antes de a gente realmente te conhecer!
- O que você quer dizer com isso?! - respondeu Ethan, agora também indignado.
- Nada, só queria ver a sua reação!
- Não achei graça! 
- Que bom, agora você sabe como eu me sinto em todas as nossas conversas! 
- Impossível! O Oliver me disse que eu sou hilário! Além disso, você já riu de várias das minhas piadas!
- Primeiramente, o Oliver te ama, por isso o senso de humor dele está totalmente desequilibrado quando se trata de você! Segundo, eu posso ter rido de uma ou duas piadas, no máximo, e apenas para não perder a amizade!
- Uau! Você está afiada! Mas, tudo bem, vamos fazer uma pausa nessa discussão e voltar ao que interessa: investirmos nossa energia em usar a nossa técnica para encontrar Áeris!
- Tudo bem... mas vamos voltar nesse assunto depois, pois eu tenho muito mais coisas para dizer que vão acabar com você!
- Não quero mais falar com você! Você não sabe brincar! - respondeu Ethan rindo. 
- Bem, você está pronto?
- Com certeza! Vamos lá! - disse ele, elevando ambas as mãos à altura dos ombros com as palmas viradas para fora.
- Vamos! - respondeu ela fazendo o mesmo, juntando as suas mãos às de Ethan.
- Lembre-se, tente sentir Áeris, mas assim que ouvir a minha voz você tem que parar imediatamente! Assim você não entra em total combustão e não precisaremos esperar os seus poderes voltarem!
- Certo! - respondeu ela - Chegou a hora, 3...2...1...

29 DE OUTUBRO DE 2018, HAMILTON, BERMUDAS, 6:48

- Há quanto tempo você vem pensando nisso? - perguntou Themba, olhando para o mar enquanto conversava com o elemental da eletricidade.
- A minha aparência física começou a me incomodar desde que eu atingi a puberdade - respondeu Cho, sentado ao lado de Themba - Antes disso, eu acho que não tinha muita coisa que me diferenciava de qualquer outro menino, mas, quando eu atingi essa etapa da vida, as mudanças drásticas que ocorreram, incluindo as intelectuais, me fizeram perceber que talvez eu tivesse "nascido no corpo errado". Por isso, desde 2016, eu tenho feito acompanhamento psicológico especializado e, há seis meses, eu decidi que vou fazer a transição! 

- Nós convivemos há tanto tempo e eu nunca percebi que você se sentia assim...
- Não é culpa sua, eu sou muito reservado! Além disso, antes de compartilhar isso com outras pessoas, eu precisava entender o que estava acontecendo! A minha psicóloga tem me ajudado bastante nisso e, hoje em dia, eu estou bem mais seguro e mais confiante!
- Eu imagino! Deve ser libertador poder compreender melhor quem você é!
- É extremamente libertador! - Exclamou Cho, sorrindo - A primeira vez que eu disse em voz alta para os meus pais que eu era um homem trans foi o momento mais emocionante da minha vida!
- Quando você contou para eles? E como eles reagiram a isso? Pode ser difícil para algumas pessoas compreenderem! Principalmente pessoas mais velhas ou que pertencem a culturas mais tradicionais.
- Você acabou de descrever os meus pais! - respondeu ele rindo - Eu contei para eles nas férias do ano passado e eles realmente tiveram muita dificuldade no começo, pois eu venho de uma família extremamente tradicional, na qual o conceito de homem trans é basicamente inexistente. Mas, a despeito disso, os meus pais se esforçaram desde o começo para tentar entender e, atualmente, estão bem mais tranquilos em relação ao assunto! Meu pai me chamou de filho na última vez que nos falamos pelo celular! Eu, simplesmente, me desmanchei em lágrimas!
- Eu fico muito feliz por você! - disse Themba - Mas, de agora em diante, eu exijo que você me peça ajuda sempre que precisar! Você sabe que eu e os outros elementais somos a sua família e você não precisa lidar com nada sozinho!
- Eu sei! - respondeu Cho - Eu prometo que não vou esconder mais nada de vocês! Vocês realmente são uma extensão da minha família e eu quero inclui-los nessa nova fase da minha vida!
- Os outros, com certeza, vão adorar o fato de você sentir que pode compartilhar isso com eles!
- Assim espero! Bem, o importante é que eles entendam que eu sempre fui e sempre serei um homem! Mesmo enquanto eu ainda não realizei a transição!
- Você já iniciou algum procedimento? Ou vai começar só quando voltarmos? Outra coisa, a sua psicóloga não vai estranhar que você ficou vários meses sem ir às consultas?
- Eu ia começar a terapia hormonal na semana em que partimos para a Espanha, mas, considerando toda a confusão nas nossas vidas no momento, eu pedi para adiar. Quanto à minha psicóloga, eu avisei que tinha uma "emergência familiar" e que precisaria me ausentar de Birmingham por alguns meses.
- Foi a decisão mais sensata! Mas eu tenho certeza que em breve estaremos de volta e você vai poder dar seguimento aos seus planos!
- Que assim seja! Mas, de qualquer forma, eu decidi que, assim que voltarmos dessa jornada, eu vou contar a todos, assim como contei para você! Espero que todos tenham uma reação tão boa quanto a sua! Ou melhor... tão engraçada quanto a sua!
- Eu já disse que estava com sono e você me pegou desprevenido! - protestou Themba.
- Mas de todas as coisas que você poderia perguntar ou comentar, por que você escolheria "tá, mas qual vai ser o seu novo nome?" - respondeu Cho rindo.
- Pareceu uma pergunta relevante na hora! Mas depois eu percebi que foi uma pergunta bem idiota! - confessou ele, rindo.
- Sim, de fato foi bem idiota - concordou ele - Mas, em nenhum momento, você tratou isso como algo absurdo e, para mim, isso foi o suficiente! 
- Claro! Se você me diz que é um homem e que agora eu devo usar pronomes masculinos para me referir a você, por mim tudo bem! Porém, em minha defesa, se você não tivesse um nome neutro, a mudança de nome seria algo mais relevante!
- Tudo bem! Eu admito que é um assunto medianamente relevante, mas não para a parte inicial da conversa! - respondeu Cho - Mas, a despeito disso, eu agradeço do fundo do meu coração todo o apoio que você tem me dado, tanto nesse assunto quanto na busca por Electris!
- Como eu disse, você pode contar comigo sempre! Além disso, você é tão bom no controle dos seus poderes que eu praticamente só precisei observar até agora!
- Obrigado! Eu acho que isso tem a ver com o modo como os meus pais me criaram. Desde sempre, eles me ensinaram sobre autodisciplina e autocontrole, então eu consigo sentir quando os meus poderes estão excedendo a minha capacidade de contê-los e quando devo cessar a técnica de conexão!
- Exato! Quando eu penso que eu vou ter que entrar em ação, você já conseguiu se controlar! Você precisa me ensinar como se faz! Eu quero poder encontrar o meu Imortal sem perder o controle também!
- Meditação ajuda muito nisso! Poderíamos aproveitar o fato de não ter ninguém além de nós aqui para meditarmos! Aqui é um ambiente perfeito!
- Eu topo! - Respondeu Themba animado.
- Então vamos lá! Senta nessa posição - disse Cho, sentado na areia com as pernas flexionadas uma sobre a outra à frente do corpo e a parte de trás da mão direita pousada sobre a palma da mão esquerda, repousando sobre as pernas. Themba imitou a postura e, assim, ambos iniciaram o processo e meditação.

30 DE OUTUBRO DE 2018, SOCOTRA, IÊMEN, 12:48


- Eu não acredito que finalmente chegamos! - Disse Gabriela, pulando de alegria embaixo de uma árvore de mais de dez metros de altura.
- Uau! Eu nunca vi nenhuma árvore igual a essa! A copa parece um guarda-chuva - respondeu Sophie, encantada - Mas você tem certeza que essa é a árvore certa?
- Absoluta! A minha conexão com Florên está cada vez mais forte e ela nos trouxe, especificamente até a mais antiga Dracaena Cinnabari, mais popularmente conhecida como árvore sangue-de-dragão. Essa é uma árvore encontrada apenas nessa ilha e o formato da copa é algo singular sobre ela, o que a diferencia de qualquer outra espécie!
- Por que esse nome? - Perguntou Sophie, curiosa.
- Essa é outra coisa que a diferencia das outras! A seiva proveniente deste tipo de árvore é vermelha como sangue!
- Que interessante e, ao mesmo tempo, estranho! - Exclamou a elemental da água - Bem, mas e agora? Como vamos achar o santuário de Florên?
- Quando o Ethan chegou na entrada do santuário de Flamus, ele teve que demonstrar os seus poderes, então talvez eu deva fazer o mesmo - disse a elemental das plantas, tocando o tronco da árvore. Imediatamente, uma porta apareceu na casca da árvore e, acima dela, estava escrita a seguinte mensagem: Bem-vinda elemental! A partir deste ponto, deixe que a sua essência mostre o caminho!
- O que ela quer dizer com isso?! Da última vez, o resultado foi a perda da nossa essência humana! Será que é a mesma coisa?
- Eu não sei, mas, de qualquer forma, eu não tenho muita escolha! Nós nos esforçamos muito para chegar até aqui e eu estou disposta a correr qualquer risco para finalizar a nossa missão! - disse Gabriela, decidida - Mas eu entendo se você quiser esperar aqui!
- Claro que não! Imagina se eu vou deixar você entrar sozinha! - Respondeu Sophie, determinada - Nós vamos entrar juntas e enfrentar quaisquer perigos que nos aguardem! Juntas!
- Obrigada Sophie! Então, vamos entrar?
- Vamos! Mas eu realmente espero não perder o meu corpo de novo! Eu gosto dele!
- Claro, com esse corpo, quem iria querer perder! - disse Gabriela, rindo.
Pode parar! Eu já disse que ainda não tenho certeza sobre o que aconteceu! Talvez tenha sido o vinho, o fato de estarmos em uma praia de nudismo... eu não sei, mas eu preciso de mais tempo para processar isso! Além disso, do que você está reclamando? Você é linda! - Finalizou Sophie, segurando a mão de Gabriela.
- Eu sei, eu estou apenas brincando! - respondeu a elemental das plantas, tocando a face de Sophie - E você sabe que não há pressão nenhuma da minha parte! Embora eu esteja plenamente certa de como eu me sinto em relação a você!
- Obrigada! Isso tudo é muito novo para mim! Eu jamais imaginei que algo assim iria acontecer... eu não sabia que você era...
- Lésbica? Nem eu! Na verdade, eu não sei nem se eu sou lésbica, bi, curiosa ou qualquer outra coisa. Eu também estou tentando entender o que aconteceu em Saint-Tropez, mas de uma coisa eu tenho certeza, eu gostei do que aconteceu entre nós e de que eu gosto de você!
- Eu não posso negar que tenha sido bom, mas os meus sentimentos em relação ao que aconteceu quando estávamos na França ainda estão confusos, então eu preciso me focar no que viemos fazer! - finalizou Sophie, gentilmente soltando a mão de Gabriela - Mas eu prometo que podemos conversar sobre isso quando voltarmos para casa.
- Tudo bem! Como eu disse, sem pressão!
- Eu agradeço! Então, é isso! Vamos lá?
- Vamos! - dito isso, a elemental das plantas segurou a mão de Sophie e tocou a porta na casca da árvore, adentrando-a. Porém, assim que entraram, elas perceberam que não havia qualquer tipo de iluminação no local, ou seja, teriam que achar o caminho sem poder enxergar nada - Bem, agora sabemos o que ela quis dizer com "deixe sua essência mostrar o caminho".
- Faz sentido! - respondeu Sophie - Pelo menos, ainda estamos nos nossos corpos, embora eu não seja de muito ajuda aqui, pois não posso produzir luz e não tenho como nos guiar!
- Não se preocupe, eu vou no guiar! Mas preciso que você siga exatamente o que eu disser e fique ao meu lado o tempo todo!
- Pode deixar! Você guia o caminho!
- Ótimo! A primeira coisa que eu vou fazer é verificar quanto espaço nós temos e me assegurar de que o chão é seguro de andar - dizendo isso, Gabriela materializou diversos ramos, os quais se multiplicaram para todas as direções possíveis - Aparentemente, só temos uma opção: há um declive à nossa direita que leva ao que parece ser um túnel, com, pelo menos, 500 metros de comprimento. O chão parece firme, mas vamos nos manter juntas para o caso de qualquer tipo de armadilha!
- Nossa, você colheu todas essas informações por meio dos ramos? - disse Sophie, surpresa - Isso é incrível! Agora temos alguma pista do caminho até Florên!
- Parece que sim... mas essa aparente facilidade em encontrar o caminho me deixa preocupada! Então, vamos ser cuidadosas!
- Concordo! Mas precisamos avançar ou então nunca chegaremos lá! - disse Sophie, gentilmente empurrando Gabriela - Com ou sem perigos iminentes, precisamos seguir em frente!
- Você tem razão! Vamos em frente! - respondeu Gabriela, caminhando para o declive e seguindo pelo túnel que ela tinha identificado.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Capitulo 8 - Aqueles que Amam (Cont.)

- Oi Enzo... - disse ela, olhando para a cadeira de rodas - como você está?
- Vivo - respondeu ele, sem acrescentar mais nada.
- Isso é bom...
- A Frida estava perto do local do acidente - Interpôs-se Pedro - Ela foi a primeira a chegar aqui.
- Que conveniente! - disse Enzo.
- Como assim? - perguntou Frida, confusa.
- Nada... bem, você se importa de nos dizer que tipo de carro você estava dirigindo? - respondeu Enzo.
- Um Uno vermelho, por quê?
- Esquece, só curiosidade.
- Espera, você está insinuando que Frida poderia ter algo a ver com isso Enzo? - perguntou Pedro, perplexo.
- Sinceramente Seu Pedro, eu poderia esperar qualquer coisa dela... - respondeu Enzo - Mas isso não vem ao caso! Como está o Daniel?
- Ele está bem meu filho... - respondeu Pedro - Mas... você não acha que essa é uma acusação muito forte de se fazer?
- Bem, vamos lá: a Frida, caso o senhor não saiba, era a minha melhor amiga na faculdade, mas, desde que eu comecei a namorar com o Daniel, ela já me expôs a uma humilhação pública na universidade, já enviou mensagens com teor falso para o Daniel a meu respeito e, mesmo sabendo que algo estava errado quando o Daniel reatou com ela, não fez nada para saber o porquê. Então, com todo respeito seu Pedro, quando eu digo que espero qualquer coisa dela, eu realmente quero dizer isso e, respondendo à sua pergunta, eu não acho que a minha acusação seja tão absurda, quando se trata dela. Mas, como ela mesma já disse, o carro dela é um Uno vermelho e não bate com a descrição do carro da pessoa que fez isso.
- Olha aqui Enzo... - iniciou Frida.
- Nem começa, eu não quero ouvir - interrompeu Enzo - Seu Pedro, nós podemos vê-lo ou precisamos esperar?
- Disseram na recepção que precisamos esperar e, assim que ele tiver condições de receber visitas, nós seremos avisados.
- Entendi. Bem, eu peço que o senhor me desculpe Seu Pedro, mas eu preciso dar uma volta. Eu não conseguirei ficar aqui sentado, esperando! Mas, por favor, se o médico chegar e eu não estiver aqui, me avise! - dito isso, Enzo saiu manobrando a sua cadeira de rodas.
- Err... Frida - disse Pedro, assim que Enzo saiu - Você fez tudo isso mesmo?
- Sim... mas eu estou arrependida... eu juro! - Frida começou a lagrimar.
- Tudo bem minha filha, eu acredito em você - respondeu Pedro, abraçando a garota.

Enquanto Enzo percorria os corredores do hospital, ouviu o celular tocar e na tela identificou que era Pietro:

- Oi Enzo! Eu vi a sua mensagem sobre o Daniel! É muito grave? Como ele está?
- Eu ainda não sei - respondeu o rapaz - Eles ainda não deixaram ninguém vê-lo, mas, aparentemente, eles está bem. Isso me deixa muito nervoso, porque preciso muito ver como ele está por mim mesmo! Pra piorar tudo a Frida está aqui!
- O que?! - Exclamou Pietro - O que ela está fazendo aí?!
- Aparentemente, ela estava no local do acidente ou algo assim... Eu não quis nem escutar o que ela tinha a dizer! Essa garota me tira do sério só de olhar pra ela! Eu não consigo nem acreditar que nós já fomos melhores amigos! Como as coisas podem mudar tão drasticamente assim?
- Eu sei como você se sente! Não tem nada mais importante do que amizade para mim, exceto minha família, é claro! A traição de um amigo, pra mim, seria mais dolorosa do que a do meu próprio namorado!
- Exato! Eu sei que as coisas foram meio complicadas, mas eu nunca planejei "roubar" o Daniel dela! Eu pedi desculpas inúmeras vezes... Mas, de qualquer forma, um garoto não deveria ficar entre a nossa amizade e, principalmente, uma amiga de verdade nunca faria as coisas que ela fez... Bem, isso são águas passadas... obrigado por me fazer companhia pelo celular, eu estava precisando de alguém pra conversar!
- Você sabe que sempre pode contar comigo! Você quer que eu vá até aí pra te fazer companhia ao vivo? O HIB é bem perto de casa!
- Não precisa Pietro! Está tarde e eu não incomodar!
- Deixa disso! É muito perto! É 5 minutos de carro!
- Você tem certeza? 
- Já estou até me arrumando aqui. Te vejo daqui a pouco!

Ao desligar o celular, Enzo se surpreendeu ao notar que Frida estava atrás dele.

- O que você está fazendo aqui? - disse Enzo - Você ouviu a conversa?
- Eu vim conversar com você e... bem, eu não quis interromper...
- Não me surpreende que você ouça a conversa alheia... bem, não importa, o que você quer?
- Conversar... eu só não sei como...
- Olha, não precisa fazer isso! Nós podemos estar no mesmo lugar e não nos falarmos! Sério!
- Eu, realmente, era sua melhor amiga, né?
- Era... era sim... e eu agradeço pelo tempo que passamos juntos. Mas eu não te conheço mais, você era uma pessoa legal no passado, mas... bem, não mais...
- Eu...
- Olha, eu estou passando por muita coisa ultimamente, não que isso seja do seu interesse, mas eu, de verdade, não quero ter essa conversa agora... - Enzo, simplesmente, seguiu de volta para a sala de espera com Pedro.

Os três trocaram poucas palavras, esperando para saber mais notícias de Daniel. Pouco tempo depois, Pietro chegou, cumprimentando todos, exceto Frida. 

- Oi Pietro! Como você soube que estávamos aqui? - indagou Pedro.
- Eu avisei Seu Pedro. Nós estávamos conversando pelo celular e ele se ofereceu para vir me fazer companhia enquanto esperamos por alguma notícia.
- Isso mesmo! Eu moro aqui pertinho e eu sei que essa espera pode ser massacrante, então vim fazer companhia até darem alguma notícia.

Cerca de uma hora se passou até que o médico de plantão viesse falar com eles.

- Boa noite! Eu sou o Dr. Mário Gomes, eu peço desculpas pela demora, mas nós estamos no meio de uma noite, surpreendentemente, mais agitada que o normal. Vocês são familiares de Daniel Santos Galvão?
- Oi! - Pedro praticamente pulou da cadeira - Eu sou o pai dele e estes são amigos do meu filho! Como eles está?
- Bem, o paciente está estável e não houve dano grave. Entretanto, houve fratura em 3 costelas e um hematoma na cabeça, causados pelo trauma, por isso nós pretendemos mantê-lo em observação por 24h para ter certeza de não haver hemorragia interna ou qualquer dano aos órgãos internos. Como ele está estável e consciente, eu vou liberar a entrada de duas pessoas, porém, de antemão, aviso que ele pode estar experimentando inchaço, dor no peito e dor na cabeça, portanto eu peço que sejam breves, para que ele não se esforce demais e para que possa descansar e se recuperar. Então, quem irá entrar?
- Vamos eu e você, certo Enzo? - disse Pedro.
- Vamos sim Seu Pedro! Mal posso esperar pra vê-lo!

Os dois seguiram o médico até a sala onde estava Daniel. Quando chegaram no local, o rapaz disse, com voz fraca:

- Pai... Enzo... Que bom ver vocês!!
- Meu filho!! Como isso foi acontecer?!
- A última coisa que... eu lembro é... estar falando com você e o carro... bem, o carro que estava... me seguindo... bateu na minha lateral... Eu... Eu não sei o que aconteceu depois disso...
- Você deve ter batido a cabeça meu amor! - disse Enzo, aproximando-se de Daniel e pegando a mão direita do rapaz - Parece que o seu carro capotou, então você deve ter batido a cabeça e ficado inconsciente! Eu fico tão feliz que nada de pior aconteceu com você!
- Eu estou... bem, certo Doutor?
- Sim Daniel! A priori, não encontramos nada de grave nos seus exames, mas vamos manter você aqui sob observação por, pelo menos, 24h!
- Tudo bem... eu acho... - Daniel estava, visivelmente, muito cansado.
- Bem meu filho, nós só queríamos ver e falar com você, para saber como você estava se sentindo - disse Pedro - Mas vamos deixar você descansar e, mais tarde, estaremos aqui novamente, quando você acordar, tudo bem?
- Parece b... - Daniel bocejou lentamente - ...bom! Parece bom!
- Descanse meu amor! De manhã nos vemos novamente! - acrescentou Enzo.

Quando saíram da sala, Enzo notou que Pedro estava com uma expressão distante.

- Vai ficar tudo bem Seu Pedro - disse o rapaz.
- Eu sei... É só que... Ele parecia meio confuso, você não achou?
- Sim, eu notei... Mas, provavelmente, ele ainda está se recuperando do acidente, ou então está sob efeito de algum remédio, afinal o médico disse que ele pode estar sentido dores. Vamos deixar para nos preocupar amanhã, quando ele estiver mais descansado.
- Você está certo Enzo! Agora eu vejo o porquê do Daniel sempre dizer que você é o mais calmo da relação! Só mais uma coisa - Pedro parou Enzo e falou em tom mais baixo: - Você realmente acha a Frida tem algo a ver com isso?
- Aparentemente não...
- Mas, por que você falou aquilo quando chegou?
- Eu não confio mais na Frida! Ela já fez coisas que eu nunca imaginaria contra mim, então eu sempre me mantenho alerta quando ela está por perto! Mas, neste caso, parece que ela não tem nada a ver com o acidente... Eu peço desculpas por levantar essa suspeita, eu devia estar cansado, irritado, com medo... eu não sei... talvez eu tenha sido injusto com ela neste caso...
- Bem, nesse caso vamos voltar para a sala de espera e avisar a ela como o Daniel está.

Após Enzo e Pedro contarem sobre a breve conversa com Daniel, os quatro decidiram que era hora de irem para casa.

- Você precisa de uma carona Enzo? Eu sei que a sua casa é longe daqui! - disse Pedro.
- O senhor deve estar cansado, talvez seja melhor que o Enzo durma em casa, assim mais tarde ele pode vir direto pra cá! Acho que seria bem menos cansativo pra todos - propôs Pietro.
- Eu concordo. Obrigado por oferecer Seu Pedro, mas a proposta do Pietro, realmente, parece menos cansativa pra todos!
- De acordo então. De fato, estou muito cansado. Bem, nos vemos amanhã, certo?
- Sim, estarei aqui assim que acordar! Caso o senhor chegue primeiro, me avise sobre como ele está e eu farei o mesmo, caso chegue primeiro.

Assim, Enzo seguiu com Pietro para a casa do rapaz. No carro, ele indagou sobre a vida do amigo:

- Nem tive tempo de perguntar, mas como estão as coisas entre você e o Gui?
- Ah amigo, elas estão ótimas! Mas ele anda agindo meio diferente...
- Diferente como?
- Eu não sei... Ele fica muito pensativo em alguns momentos, quando estamos juntos, mas sempre diz que não é nada. Ontem, por exemplo, ele estava em casa e nós... você sabe...
- O que? Estavam transando? Como foi?
- Enzo!! - exclamou Pietro, fortemente corado.
- O que?! Você precisa se soltar! Somos amigos e eu tenho direitos de amigo sobre qualquer fato quente da sua vida! - disse Enzo rindo.
- Olha, não lembro de ter assinado nada que lhe dê tais direitos - respondeu Pietro rindo - Mas, sim, nós estávamos fazendo isso e, depois, quando estávamos deitados, ele ficou vários minutos olhando pra mim e eu tive a sensação que ele ia dizer algo, mas desistiu. Eu fico preocupado! Será que ele vai terminar comigo? Você que já namorou com ele, o que acha disso?
- Em primeiro lugar, quando nós namoramos, ambos éramos pessoas completamente diferentes! Mas uma coisa é certa, o Gui sempre foi uma pessoa muito direta! Acredite, se ele quisesse terminar com você ele simplesmente o faria, sem enrolação! Afinal, ele tem muita prática de término de namoro! Em compensação, o Gui tem, surpreendentemente, pouca experiências com relações mais duradouras, então talvez ele não saiba muito bem como agir em determinadas situações. Em segundo lugar, você é louco? Quem em sã consciência terminaria um namoro com você?! Sério, você é uma pessoa incrível! Ninguém te deixaria escapar e o Gui sabe disso, por isso ele já te fisgou - finalizou Enzo, imitando a ação de pescar.
- Bem... você me deixou até sem palavras! - disse Pietro rindo - Obrigado amigo, eu vou levar isso em consideração e tentar não pensar besteiras.

Pouco tempo depois de chegarem na casa de Pietro, os dois rapazes estavam dormindo, visto que ambos estavam bastante cansados. Na manhã seguinte, Enzo acordou se sentindo mais relaxado e, quando olhou a hora no celular, viu que eram 9:00 da manhã e que havia uma mensagem de Pietro, o qual não estava no quarto.

"Oi amigo, eu tinha aula hoje cedo e não quis te acordar. Espero que tenha conseguido descansar. Provavelmente não vai ter ninguém em casa quando você acordar, pois todos saem cedo, mas fique à vontade para atacar a geladeira e pegar uma roupa limpa no armário (vou querer de volta, viu?! haha) ;). Deixei minha chave pra você, depois da aula eu pego, quando for ao hospital"

Também havia uma mensagem de Pedro, enviada 6:00: "Oi Enzo. Estou no hospital! O Daniel... algo aconteceu com ele! Eu não entendi direito, mas ele está em cirurgia agora!

Enzo, rapidamente, leu e respondeu às mensagens, tomou banho e saiu. O rapaz, literalmente, correu até o hospital. Quando chegou no local, encontrou Pedro na sala de espera, conversando com o médico.

- O que aconteceu Seu Pedro?
- Ah Enzo! Que bom que você chegou - disse Pedro abraçando o rapaz - O médico estava a ponto de me explicar o que aconteceu!
- Bem... - disse Dr. Mário Gomes - algo aconteceu durante a noite. Notamos que Daniel estava... lento, até mesmo um pouco desorientado quando vocês o visitaram... com ações
- Sim! Nós notamos também! - respondeu Pedro - O que isso quer dizer?
- A princípio, achamos que ele só estava cansado, mas decidimos pedir uma tomografia computadorizada e identificamos algo... uma pequena hemorragia no cérebro do paciente! Precisávamos realizar uma cirurgia para interromper o sangramento e, felizmente, conseguimos. Porém, no momento, precisamos esperar para saber se houve algum dano decorrente dessa hemorragia. Ainda não temos como saber algo mais preciso, até que ele acorde. Isso pode levar algum tempo.
- Espera, ele está em coma? - perguntou Enzo.
- No momento não, mas essa é uma possibilidade... O corpo dele precisa se recuperar do dano causado pelo acidente e da cirurgia em si. Mas eu posso lhes afirmar, que, felizmente, nós detectamos a hemorragia bem cedo. Estamos muito confiantes de que o Daniel não sofrerá grandes danos! Eu preciso ver outros casos, mas tenham certeza de que lhes manterei bem informado - dito isso, o médico se retirou.
- Enzo, diga a verdade, isso é grave ou não? O médico não foi muito claro! - indagou Pedro.
- Seu Pedro, é como ele disse, não temos como saber até que o Daniel acorde. Mas eu espero que não! Uma hemorragia no cérebro é algo complicado, mas o fato de ter identificado logo é um bom indicador de que o Daniel possa ficar bem, sem sequelas.
- É tão frustrante ter que esperar!
- Se quiser, eu posso ficar aqui! Eu sei que o senhor pode ter coisas pra resolver e, de qualquer forma, precisamos esperar. Então, pode ir trabalhar e eu fico aqui! Eu prometo que aviso sobre qualquer novidade!
- Você tem certeza? Você não precisa de companhia? Eu sei que tudo isso deve ser estressante pra você!
- É uma situação muito estressante sim, mas eu vou ficar bem. Além disso, o Pietro vem ficar comigo depois que sair da aula!
- Então tudo bem. Mas me avise se precisar de algo ou se tiver alguma novidade!
- Com certeza Seu Pedro!

As horas passaram devagar para Enzo. Enquanto esperava por uma novidade no quadro de Daniel, muitas coisas passavam pela sua cabeça. A despeito de todos os seus esforços para se manter calmo, o turbilhão de pensamentos lhe levou ao choro, pois temia perder Daniel.

- Ei! Tudo vai ficar bem - disse Pietro, o qual tinha chegado sem que Enzo percebesse - Eu vi a sua mensagem! Houve complicações no quadro do Daniel, mas, de qualquer forma, ele ficará bem! Vocês dois ainda tem muito tempo juntos pela frente! Tenho certeza que vão poder concretizar esse casamento!
- Obrigado pelo apoio Pietro! Eu já estava pirando aqui sozinho! - respondeu Enzo, abraçando Pietro.
- Ei, assim eu fico com ciúmes! - disse Guilherme, abraçando os dois.
- Gui! Você veio! - exclamou Enzo, surpreso.
- É claro que eu vim! Você acha que eu ia deixar meu melhor amigo sozinho em uma situação dessa? - respondeu Guilherme - Eu só não vim ontem porque acabei dormindo muito cedo e só vi a sua mensagem de manhã!
- O importante é que você está aqui! Vocês dois! Nossa, eu não aguentava mais nenhum segundo sozinho com os meus pensamentos! É horrível! Eu queria ter um bloqueador de pensamentos!
- Você sabe que... - iniciou Guilherme.
- ... o melhor remédio para pensamentos ruins é ir pra cama com alguém! - interromperam Pietro e Enzo em uníssono.
- Sim, todos sabemos da sua teoria de que não há nada que não se resolva com sexo - respondeu Enzo, rindo - Mas, infelizmente, o meu parceiro está, momentaneamente, impossibilitado!
- Bem, eu estou sempre à disposição para uma boa causa! - disse Guilherme, com um sorriso malicioso.
- Ei!! - exclamou Pietro indignado - Como assim?
- Pietro, você precisa ser mais generoso! É por uma boa causa - respondeu Guilherme com uma expressão cínica no rosto.
- Se você quer outra pessoas, por que está comigo? - indagou Pietro.
- Por que eu... - Guilherme iniciou a frase.
- Você o que Gui? - Enzo encorajou.
- Eu te amo - finalizou Guilherme, com um sorriso no rosto.
- Você... espera... era isso o que você queria me dizer ontem? - perguntou Pietro.
- Sim! É que... - Guilherme estava corando - Eu não tenho muita experiência com essas coisas!
- Espera! Gui, você está corando?! - exclamou Enzo - Ele está corando Pietro! Meu deus, em todos esses anos eu nunca vi o Gui corar!
- Você é tão idiota! Eu não sei o que fazer com você! - respondeu Pietro.
- Eu tenho algumas ideias - respondeu Guilherme, recompondo a sua expressão maliciosa e puxando o namorado para si.
- Vocês dois foram, realmente, feitos um para o outro! - disse Enzo - Um é a pessoa mais descarada que eu já vi e o outro a pessoas mais tímida que eu conheço! Fico tão feliz por vocês!
- E devemos tudo a você! Afinal, você nos deu um pé na bunda e fomos afogar nossas mágoas juntos! Então uma coisa leva à outra e cá estamos - respondeu Guilherme, rindo.
- Tudo bem, precisamos seriamente trabalhar na sua descrição de como vocês se conheceram! - disse Enzo - Em primeiro lugar, me tirem da história! - completou ele rindo.
- Mas é verdade! - interveio Pietro - Foi assim mesmo que aconteceu!
- Tudo bem, mas ninguém precisa saber! Além disso, parece que vocês são o prêmio de consolação um do outro e isso não é verdade! Vocês se amam porque se deixaram conhecer um ao outro e acabaram se apaixonando! Eu sou testemunha de tudo e é assim que eu vou contar a história para os meus afilhados!
- Que afilhados?! - exclamaram Guilherme e Pietro.
- Ora, os filhos de vocês! Os quais, obviamente, serão meus afilhados! - respondeu Enzo, decididamente.
- Com licença - disse Lucas, o qual, para a surpresa de todos, tinha acabado de entrar na sala de espera do HIB.
- Lucas?!! - respondeu Enzo, surpreso - O que você... como você?... Quem?
- O que o meu amigo está tentando dizer - interrompeu Pietro - é: o que vocês está fazendo aqui? Como você soube que estávamos aqui? Quem lhe disse que estaríamos aqui? Que horas você vai embora?
- Eu estou certo de que ele não disse essa última parte - disse Guilherme.
- Bem, mas ele estava a ponto de dizer, certo Enzo?
- Err... Eu acho que sim - Enzo olhava fixamente para Lucas - Mas eu acho que já sei o que ocorreu! Eu ainda não contei para o Seu Pedro sobre o "incidente" na piscina, então ele deve ter avisado o Lucas, pois, aparentemente, ele é um "amigo" da família!
- Foi isso mesmo - respondeu Lucas, propositalmente desviando o olhar dos demais.
- Olha, você pode ficar, desde que não faça ou diga algo estranho... - disse Enzo.
- O que?! - exclamou Pietro.
- Eu não quero fazer escândalos e, bem, ele já sabe que o Daniel está aqui mesmo.
- Eu vou ficar quieto... eu prometo... - respondeu Lucas - Como ele está?
- Ele está em recuperação! - disse Guilherme - Agora fique quieto e pare de nos dirigir a palavra!
- Por que vocês estão sendo tão rudes comigo? - questionou Lucas - Bem, eu sei que houve o "incidente" da piscina, mas eu já me desculpei por isso! Achei que estivesse tudo bem conosco!
- Lucas, não é assim que funcionam as relações! Você não pode quase deixar alguém morrer e no outro dia esperar que essa pessoa, que por sorte sobreviveu, fale com você normalmente! - disparou Guilherme - Viu?! É disso que estamos falando! Isso é estranho cara!
- Isso foi um erro, eu vou embora! - disse Lucas, levantando-se - Mas, primeiro eu gostaria de falar com você a sós Enzo... Posso?
- Você está louco! - respondeu Guilherme - É claro que não! O Enzo não vai ficar sozinho com você de novo!
- Espera Gui! Eu já sei o que fazer! - disse Enzo - Eu vou deixar ele na saída e ele pode conversar comigo enquanto isso!
- Enzo! - disse Guilherme - Tem certeza?
- Sim! - respondeu o rapaz - É melhor! Assim ele me deixa em paz! Vamos - concluiu ele, tocando a cadeia de rodas.
- Olha, eu vou ser breve - Lucas começou a falar, assim que os dois se afastaram de Pietro e Guilherme - Eu quero me desculpar de novo! Na verdade eu preciso pedir desculpas tanto a você como ao Daniel... eu pensei que ele estivesse consciente... ele deve ter te contado que eu reagi exageradamente à nossa conversa outro dia...
- Ele me contou sim... Olha Lucas, eu já canse de tentar te entender! Eu só não me sinto à vontade perto de você! Então eu agradeceria se você pudesse manter distância de nós! Espera, onde você está indo - perguntou ele ao ver Lucas dobrando para o estacionamento do hospital.
- Pegar o meu carro...
- Eu achei que você não tivesse carro! - disse Enzo, com expressão desconfiada - Pelo menos foi isso que você disse quando fomos à dos Seu Pedro!
- Ele é novo! Acabei de comprar...
- Que interessante... posso vê-lo?
- Claro... - Lucas conduziu Enzo até o carro, o qual, quando o rapaz viu o modelo e a cor do veículo, prontamente sacou o celular do bolso e enviou a seguinte mensagem para Pietro: SOS no estacionamento! Lucas tem um Corsa preto!