domingo, 11 de agosto de 2019

Capítulo 4 - Jornadas: Em Busca dos Imortais

30 DE OUTUBRO DE 2018, CARTUM, SUDÃO, 11:48

- Tinha que ser um rinoceronte de novo?! - gritou Oliver, congelando o elemental dos Animais, o qual havia perdido o controle durante a execução da técnica de conexão com Faunum. Quinze minutos depois, Marco retornou para a sua forma humana e o elemental do gelo desfez o bloco que o prendia.
- Eu sinto muito Oli - disse Marco - Mas, pensando bem, isto pode ser um sinal!
- Como assim?!
- Bem, nós já fizemos algum progresso e, desde que cruzamos o estreito de Gibraltar eu sinto uma conexão mais forte com o meu Imortal. Além disso, este não é qualquer tipo de rinoceronte, é um Ceratotherium Simum Cottoni!
- Claro! Isso explica tudo...
- Desculpa - respondeu Marco, percebendo a expressão confusa no rosto de Oliver - É um rinoceronte branco do norte!
- Tudo bem, mas eu ainda não entendi como isso pode ser um sinal! Há milhares de rinocerontes aqui, afinal estamos na África!
- Eu sei, mas essa não é qualquer espécie! - disse Marco, animado - É uma espécie tecnicamente extinta! Acho que, inconscientemente, Faunum está nos dando uma pista de onde ele está!
- Que ótimo - respondeu Oliver, agora também animado - E onde ele está?
- Bem, os últimos animais desta espécie viviam em um conservatório da vida selvagem no Quênia, então ele deve estar no conservatório ou em algum lugar próximo!
- Você tem certeza disso?
- Não... mas é o melhor palpite que nós temos até agora! - disse Marco, decidido - Eu tenho certeza que esse é um rinoceronte branco do norte e isso não pode ser mera coincidência!
- Tudo bem Marco, eu acredito no seu julgamento! Bem, então vamos fazer o seguinte: compraremos entradas para o conservatório, então tentaremos outra conexão com o seu Imortal. Se o seu palpite estiver certo, como eu tenho certeza que está, você será capaz de estabelecer e manter a conexão com Faunum - disse Oliver, acessando o celular - Qual o nome do conservatório e da cidade para a qual nós vamos?
- Ol Pejeta, em Nanyuki.
- Ótimo! Um momento - disse Oliver, digitando no celular - Pronto! Temos entradas para o conservatório!
- Finalmente! Após mais de dois meses de busca, nós finalmente vamos encontrar Faunum e você vai poder ver o Ethan de novo! - disse Marco - Eu me sinto culpado por manter você longe dele por tanto tempo, pois eu sei que você deve estar morrendo de saudade, mas eu agradeço muito por você se oferecer para me acompanhar nessa jornada!
- Imagina! É claro que eu estou sentindo falta do Ethan, mas eu estou adorando esse tempo em que nós estamos na estrada! Afinal, apesar de morarmos no mesmo lugar a maior parte do ano, eu sinto que nós quase não conversamos!
- Isso é verdade, também sinto que pudemos nos conectar nesses dois meses! Acho que acabamos nos concentrando em alguns grupos específicos nesse tempo em que moramos juntos, mas isso deveria mudar!
- Exato! Há poucas pessoas que realmente entendem o que é lidar com os nossos problemas numa base diária e vocês são e sempre serão parte da minha família, então é muito importante que nós fortaleçamos nossos vínculos! Por exemplo, sem esse tempo na estrada eu nunca confirmaria os rumores de que você e a Alba estavam realmente tendo algo!
- Sim! - confirmou Marco, rindo - Entre outras coisas...
- Você está se referindo ao fato de que você também tem uma queda pelo Themba? - disse Oliver, com uma expressão conspiratória - Com certeza essa foi uma grande surpresa para mim!
- Por que? Você já olhou bem para ele? Não tem como não ficar a fim dele!
- Bem, ele com certeza é muito bonito - respondeu Oliver - Mas a minha surpresa é mais pelo fato de você ser bissexual! Eu não diria só de olhar para você e com todos os rumores sobre você e a Alba... Mas isso não importa, o que eu realmente quero saber é quando você se "descobriu"? - finalizou Oliver, realizando o gesto de aspas com as mãos - Eu não gosto do termo, mas é o mais simples de se usar.
- Eu também não gosto desse termo - respondeu Marco - Mas, respondendo à sua pergunta, eu compreendi que eu tinha interesse por garotos quando eu tinha 14 anos! Eu sempre tive uma queda pelo Themba, mas há algum tempo atrás eu e a Alba estávamos conversando e, quando nos demos conta, estávamos ficando. A Alba é incrível e ela me fez perceber que, de fato, eu também gosto de garotas!
- Interessante! - disse Oliver - Então você ficar com garotas é algo mais recente! A Alba é uma garota de sorte!
- Exato e está sendo ótimo! Mas, e para você? Como foi esse processo?
- Quando chegou o momento em que as pessoas geralmente começam a se interessar por pessoas do sexo oposto, eu percebi que quem me chamava a atenção eram os garotos na escola. Mas para mim foi um processo bem natural e, quando eu tinha 16 anos, eu contei isso para os meus pais. Eles trataram o assunto de maneira muito tranquila. A parte mais estranha, na verdade, foi ter que conversar sobre relações sexuais - disse ele rindo - Você sabe como meus pais são detalhistas! Foi quase uma palestra!
- Os seus pais são hilários - respondeu Marco, também rindo - Eu posso imaginar como foi! Mas eu fico feliz que tenha sido tranquilo! E quanto ao Ethan? Como ele reagiram a isso?
- Antes de viajarmos para Los Angeles eu já tinha comentado com eles sobre sentir algo diferente pelo Ethan e eles reagiram bem, mas me pediram para ter cuidado, pois o Ethan poderia não corresponder aos meus sentimentos. Depois que voltamos para casa eu conversei brevemente com eles sobre a possibilidade do Ethan ter correspondido aos meus sentimentos, mas como eu estava confuso naquele momento, eu não entrei em mais detalhes. Mesmo assim eles ficaram muito felizes com a possibilidade! Os meus pais são incríveis, acho que eles me entendem até melhor que eu mesmo! E quanto aos seus pais, eles sabem sobre como você se sente em relação a garotos e garotas?
- Infelizmente, eu ainda não tive coragem de conversar com eles... - respondeu Marco - O meu pai é uma pessoa extremamente preconceituosa e eu não sei até que ponto eu estou preparado para lidar com essa conversa! A minha mãe, por outro lado, eu acho que teria dificuldade inicial de compreender esse conceito de bissexualidade, mas, no fim, eu acho que iria me acolher. A única coisa que me impede de contar a ela é o fato de saber que ela não consegue esconder nada do meu pai, então eu decidi que vou esperar para contar quando eu me sentir preparado para fazer isso para ambos! 
- Você está certo! Conte quando você sentir que está preparado e quando sentir que deve! Enquanto isso, viva a sua vida como achar melhor! Talvez o fato de você morar longe deles a maior parte do ano seja positivo nesse aspecto, já que você não precisa "esconder" coisas deles, embora eu imagine a saudade que você deve sentir!
- Realmente! Eu amo os meus pais e sinto saudade deles todos os dias! Mas, nesse aspecto, estar longe é uma coisa boa. Assim eu posso descobrir melhor quem eu sou!
- Bom, eu fico feliz que você esteja conseguindo se descobrir e espero, de verdade, que os seus pais reajam bem a isso! Porém, seja como for, você sabe que eu, meus pais e os demais elementais estamos aqui para te apoiar no que for preciso!
- Eu sei! E agradeço muito pela forma como vocês me acolheram!
- Nós é que agradecemos por você aceitar ser parte da nossa família! Bem, voltando ao presente, estou animado para cumprir a minha promessa de te ajudar a encontrar o seu Imortal, o que eu continuaria a fazer mesmo se levasse vários meses, porém, não posso negar que eu espero, do fundo do meu coração, que nós estejamos perto de achá-lo! - finalizou Oliver rindo.
- Eu também! - concordou Marco, rindo - Eu não vejo a hora de voltar para casa e encontrar os outros! Por falar nisso, como será que está o progresso deles?

30 DE OUTUBRO DE 2018, PORTO, PORTUGAL, 10:48

- Eu não acredito que estamos quase aperfeiçoando essa técnica! - disse Alba animada - Desse jeito, encontraremos Áeris em breve.
- Pois é! Estamos quase lá! Quem diria que o fato de você quase morrer naquela caverna nos daria a chave para desenvolvermos uma técnica de combinação dos nossos poderes! - respondeu Ethan.
- Precisamente! Enquanto estava enfrentando a criatura na caverna, eu percebi que eu estava conseguindo mediar a intensidade das chamas, porém, como ela estava propositalmente tentando me eliminar, eu acabei sendo "consumida". Porém, como você consegue controlar o fogo, caso ambos estivéssemos empenhados em mediar o processo de combustão, talvez nossos poderes pudessem ser combinados para criar um gás inflamável que pudéssemos controlar para me ajudar a buscar por Áeris! É como dizem, se a vida te der limões, faça uma limonada! - disse Alba rindo.
- Exatamente! Depois que eu aceitei ser seu parceiro nessa jornada, eu refleti melhor e achei que tinha feito a escolha errada, pois os meus poderes não têm qualquer efeito moderador sobre os seus! Você seria muito mais útil em me ajudar a controlar os meus poderes, mas eu não conseguiria fazer muita coisa para ajudar a controlar os seus! Mas, com essa técnica, eu consigo ser quase uma segunda consciência, que te ajuda a se controlar durante o uso dos seus poderes!
- Isso! Valeu à pena termos dedicado mais tempo a essa técnica do que à busca de Áeris em si!
- Eu concordo! Depois do desastre inicial naqueles primeiros dias de busca da sua Imortal, no qual eu tentei te ajudar e acabei fazendo você entrar em combustão, a melhor ideia que tivemos foi tentar aperfeiçoar essa técnica. Demorou quase dois meses e nós ainda estamos em Portugal, mas eu sinto que já temos controle suficiente para tentar uma nova conexão! O que você acha?
- Eu aceito! - respondeu Alba animada - Finalmente vamos sair daqui! Portugal é legal, mas quase dois meses aqui foram suficientes!
- Nossa! Ver você tão animada assim é um lado seu totalmente novo para mim - disse Ethan, rindo - Em Birmingham você era bem mais reservada! Mas é um lado que eu estou gostando muito de conhecer!
- Eu só falo quando eu acho necessário! - respondeu ela indignada.
- Calma! Isso foi um elogio! - respondeu ele, ainda rindo - Você precisa aprender a receber elogios!
- Eu estou trabalhando nisso! Não force a barra ou eu vou ser obrigada a utilizar a única estratégia que eu conheço: agressão física! - disse ela, rindo e socando o ombro do elemental do fogo.
- Ai! - exclamou Ethan - Você tem o desenvolvimento emocional de um ser humano de cinco anos! Precisamos trabalhar nisso urgente!
- Falou a pessoa com desenvolvimento emocional de uma pessoa de... seis anos?
- O que?! Não! - protestou ele - Bem... tudo bem, eu não sou a pessoa mais indicada para te ensinar sobre como lidar com emoções mesmo, mas você precisa trabalhar nisso tanto quanto eu! Talvez por isso a gente se dê tão bem, nós dois temos um couraça para evitar ter que lidar com certas situações.
- É verdade... Mas ambos estamos nos esforçando! Um dia chegaremos no nível dos outros!
- Por falar nos outros, eu não vejo a hora de voltar para casa e poder abraça-los! Eu sinto falta de estarmos todos juntos! Conversando, discutindo, treinando!
- Eu nunca pensei que diria isso, mas eu também estou com saudades dos outros! Não a ponto de coisas como abraços, é claro! Talvez... apertos de mão?
- Tudo bem, eu retiro o que eu disse, até crianças de cinco anos lidam bem com abraços! Talvez você tenha o desenvolvimento emocional de um feto? - respondeu ele rindo.
- Ah não! Isso, com certeza pede por algum tipo de resposta em forma de agressão física!
- Espera! Eu sei de uma pessoa que vê vai querer abraçar e, talvez até mesmo... beijar! - disse ele, simulando uma cara de espanto - Que escândalo! Quem será?
- Eu sabia que não deveria ter te pedido conselhos sobre o Marco! - respondeu Alba, indignada - Mas você realmente parece uma pessoa bem sensata, antes de a gente realmente te conhecer!
- O que você quer dizer com isso?! - respondeu Ethan, agora também indignado.
- Nada, só queria ver a sua reação!
- Não achei graça! 
- Que bom, agora você sabe como eu me sinto em todas as nossas conversas! 
- Impossível! O Oliver me disse que eu sou hilário! Além disso, você já riu de várias das minhas piadas!
- Primeiramente, o Oliver te ama, por isso o senso de humor dele está totalmente desequilibrado quando se trata de você! Segundo, eu posso ter rido de uma ou duas piadas, no máximo, e apenas para não perder a amizade!
- Uau! Você está afiada! Mas, tudo bem, vamos fazer uma pausa nessa discussão e voltar ao que interessa: investirmos nossa energia em usar a nossa técnica para encontrar Áeris!
- Tudo bem... mas vamos voltar nesse assunto depois, pois eu tenho muito mais coisas para dizer que vão acabar com você!
- Não quero mais falar com você! Você não sabe brincar! - respondeu Ethan rindo. 
- Bem, você está pronto?
- Com certeza! Vamos lá! - disse ele, elevando ambas as mãos à altura dos ombros com as palmas viradas para fora.
- Vamos! - respondeu ela fazendo o mesmo, juntando as suas mãos às de Ethan.
- Lembre-se, tente sentir Áeris, mas assim que ouvir a minha voz você tem que parar imediatamente! Assim você não entra em total combustão e não precisaremos esperar os seus poderes voltarem!
- Certo! - respondeu ela - Chegou a hora, 3...2...1...

29 DE OUTUBRO DE 2018, HAMILTON, BERMUDAS, 6:48

- Há quanto tempo você vem pensando nisso? - perguntou Themba, olhando para o mar enquanto conversava com o elemental da eletricidade.
- A minha aparência física começou a me incomodar desde que eu atingi a puberdade - respondeu Cho, sentado ao lado de Themba - Antes disso, eu acho que não tinha muita coisa que me diferenciava de qualquer outro menino, mas, quando eu atingi essa etapa da vida, as mudanças drásticas que ocorreram, incluindo as intelectuais, me fizeram perceber que talvez eu tivesse "nascido no corpo errado". Por isso, desde 2016, eu tenho feito acompanhamento psicológico especializado e, há seis meses, eu decidi que vou fazer a transição! 

- Nós convivemos há tanto tempo e eu nunca percebi que você se sentia assim...
- Não é culpa sua, eu sou muito reservado! Além disso, antes de compartilhar isso com outras pessoas, eu precisava entender o que estava acontecendo! A minha psicóloga tem me ajudado bastante nisso e, hoje em dia, eu estou bem mais seguro e mais confiante!
- Eu imagino! Deve ser libertador poder compreender melhor quem você é!
- É extremamente libertador! - Exclamou Cho, sorrindo - A primeira vez que eu disse em voz alta para os meus pais que eu era um homem trans foi o momento mais emocionante da minha vida!
- Quando você contou para eles? E como eles reagiram a isso? Pode ser difícil para algumas pessoas compreenderem! Principalmente pessoas mais velhas ou que pertencem a culturas mais tradicionais.
- Você acabou de descrever os meus pais! - respondeu ele rindo - Eu contei para eles nas férias do ano passado e eles realmente tiveram muita dificuldade no começo, pois eu venho de uma família extremamente tradicional, na qual o conceito de homem trans é basicamente inexistente. Mas, a despeito disso, os meus pais se esforçaram desde o começo para tentar entender e, atualmente, estão bem mais tranquilos em relação ao assunto! Meu pai me chamou de filho na última vez que nos falamos pelo celular! Eu, simplesmente, me desmanchei em lágrimas!
- Eu fico muito feliz por você! - disse Themba - Mas, de agora em diante, eu exijo que você me peça ajuda sempre que precisar! Você sabe que eu e os outros elementais somos a sua família e você não precisa lidar com nada sozinho!
- Eu sei! - respondeu Cho - Eu prometo que não vou esconder mais nada de vocês! Vocês realmente são uma extensão da minha família e eu quero inclui-los nessa nova fase da minha vida!
- Os outros, com certeza, vão adorar o fato de você sentir que pode compartilhar isso com eles!
- Assim espero! Bem, o importante é que eles entendam que eu sempre fui e sempre serei um homem! Mesmo enquanto eu ainda não realizei a transição!
- Você já iniciou algum procedimento? Ou vai começar só quando voltarmos? Outra coisa, a sua psicóloga não vai estranhar que você ficou vários meses sem ir às consultas?
- Eu ia começar a terapia hormonal na semana em que partimos para a Espanha, mas, considerando toda a confusão nas nossas vidas no momento, eu pedi para adiar. Quanto à minha psicóloga, eu avisei que tinha uma "emergência familiar" e que precisaria me ausentar de Birmingham por alguns meses.
- Foi a decisão mais sensata! Mas eu tenho certeza que em breve estaremos de volta e você vai poder dar seguimento aos seus planos!
- Que assim seja! Mas, de qualquer forma, eu decidi que, assim que voltarmos dessa jornada, eu vou contar a todos, assim como contei para você! Espero que todos tenham uma reação tão boa quanto a sua! Ou melhor... tão engraçada quanto a sua!
- Eu já disse que estava com sono e você me pegou desprevenido! - protestou Themba.
- Mas de todas as coisas que você poderia perguntar ou comentar, por que você escolheria "tá, mas qual vai ser o seu novo nome?" - respondeu Cho rindo.
- Pareceu uma pergunta relevante na hora! Mas depois eu percebi que foi uma pergunta bem idiota! - confessou ele, rindo.
- Sim, de fato foi bem idiota - concordou ele - Mas, em nenhum momento, você tratou isso como algo absurdo e, para mim, isso foi o suficiente! 
- Claro! Se você me diz que é um homem e que agora eu devo usar pronomes masculinos para me referir a você, por mim tudo bem! Porém, em minha defesa, se você não tivesse um nome neutro, a mudança de nome seria algo mais relevante!
- Tudo bem! Eu admito que é um assunto medianamente relevante, mas não para a parte inicial da conversa! - respondeu Cho - Mas, a despeito disso, eu agradeço do fundo do meu coração todo o apoio que você tem me dado, tanto nesse assunto quanto na busca por Electris!
- Como eu disse, você pode contar comigo sempre! Além disso, você é tão bom no controle dos seus poderes que eu praticamente só precisei observar até agora!
- Obrigado! Eu acho que isso tem a ver com o modo como os meus pais me criaram. Desde sempre, eles me ensinaram sobre autodisciplina e autocontrole, então eu consigo sentir quando os meus poderes estão excedendo a minha capacidade de contê-los e quando devo cessar a técnica de conexão!
- Exato! Quando eu penso que eu vou ter que entrar em ação, você já conseguiu se controlar! Você precisa me ensinar como se faz! Eu quero poder encontrar o meu Imortal sem perder o controle também!
- Meditação ajuda muito nisso! Poderíamos aproveitar o fato de não ter ninguém além de nós aqui para meditarmos! Aqui é um ambiente perfeito!
- Eu topo! - Respondeu Themba animado.
- Então vamos lá! Senta nessa posição - disse Cho, sentado na areia com as pernas flexionadas uma sobre a outra à frente do corpo e a parte de trás da mão direita pousada sobre a palma da mão esquerda, repousando sobre as pernas. Themba imitou a postura e, assim, ambos iniciaram o processo e meditação.

30 DE OUTUBRO DE 2018, SOCOTRA, IÊMEN, 12:48


- Eu não acredito que finalmente chegamos! - Disse Gabriela, pulando de alegria embaixo de uma árvore de mais de dez metros de altura.
- Uau! Eu nunca vi nenhuma árvore igual a essa! A copa parece um guarda-chuva - respondeu Sophie, encantada - Mas você tem certeza que essa é a árvore certa?
- Absoluta! A minha conexão com Florên está cada vez mais forte e ela nos trouxe, especificamente até a mais antiga Dracaena Cinnabari, mais popularmente conhecida como árvore sangue-de-dragão. Essa é uma árvore encontrada apenas nessa ilha e o formato da copa é algo singular sobre ela, o que a diferencia de qualquer outra espécie!
- Por que esse nome? - Perguntou Sophie, curiosa.
- Essa é outra coisa que a diferencia das outras! A seiva proveniente deste tipo de árvore é vermelha como sangue!
- Que interessante e, ao mesmo tempo, estranho! - Exclamou a elemental da água - Bem, mas e agora? Como vamos achar o santuário de Florên?
- Quando o Ethan chegou na entrada do santuário de Flamus, ele teve que demonstrar os seus poderes, então talvez eu deva fazer o mesmo - disse a elemental das plantas, tocando o tronco da árvore. Imediatamente, uma porta apareceu na casca da árvore e, acima dela, estava escrita a seguinte mensagem: Bem-vinda elemental! A partir deste ponto, deixe que a sua essência mostre o caminho!
- O que ela quer dizer com isso?! Da última vez, o resultado foi a perda da nossa essência humana! Será que é a mesma coisa?
- Eu não sei, mas, de qualquer forma, eu não tenho muita escolha! Nós nos esforçamos muito para chegar até aqui e eu estou disposta a correr qualquer risco para finalizar a nossa missão! - disse Gabriela, decidida - Mas eu entendo se você quiser esperar aqui!
- Claro que não! Imagina se eu vou deixar você entrar sozinha! - Respondeu Sophie, determinada - Nós vamos entrar juntas e enfrentar quaisquer perigos que nos aguardem! Juntas!
- Obrigada Sophie! Então, vamos entrar?
- Vamos! Mas eu realmente espero não perder o meu corpo de novo! Eu gosto dele!
- Claro, com esse corpo, quem iria querer perder! - disse Gabriela, rindo.
Pode parar! Eu já disse que ainda não tenho certeza sobre o que aconteceu! Talvez tenha sido o vinho, o fato de estarmos em uma praia de nudismo... eu não sei, mas eu preciso de mais tempo para processar isso! Além disso, do que você está reclamando? Você é linda! - Finalizou Sophie, segurando a mão de Gabriela.
- Eu sei, eu estou apenas brincando! - respondeu a elemental das plantas, tocando a face de Sophie - E você sabe que não há pressão nenhuma da minha parte! Embora eu esteja plenamente certa de como eu me sinto em relação a você!
- Obrigada! Isso tudo é muito novo para mim! Eu jamais imaginei que algo assim iria acontecer... eu não sabia que você era...
- Lésbica? Nem eu! Na verdade, eu não sei nem se eu sou lésbica, bi, curiosa ou qualquer outra coisa. Eu também estou tentando entender o que aconteceu em Saint-Tropez, mas de uma coisa eu tenho certeza, eu gostei do que aconteceu entre nós e de que eu gosto de você!
- Eu não posso negar que tenha sido bom, mas os meus sentimentos em relação ao que aconteceu quando estávamos na França ainda estão confusos, então eu preciso me focar no que viemos fazer! - finalizou Sophie, gentilmente soltando a mão de Gabriela - Mas eu prometo que podemos conversar sobre isso quando voltarmos para casa.
- Tudo bem! Como eu disse, sem pressão!
- Eu agradeço! Então, é isso! Vamos lá?
- Vamos! - dito isso, a elemental das plantas segurou a mão de Sophie e tocou a porta na casca da árvore, adentrando-a. Porém, assim que entraram, elas perceberam que não havia qualquer tipo de iluminação no local, ou seja, teriam que achar o caminho sem poder enxergar nada - Bem, agora sabemos o que ela quis dizer com "deixe sua essência mostrar o caminho".
- Faz sentido! - respondeu Sophie - Pelo menos, ainda estamos nos nossos corpos, embora eu não seja de muito ajuda aqui, pois não posso produzir luz e não tenho como nos guiar!
- Não se preocupe, eu vou no guiar! Mas preciso que você siga exatamente o que eu disser e fique ao meu lado o tempo todo!
- Pode deixar! Você guia o caminho!
- Ótimo! A primeira coisa que eu vou fazer é verificar quanto espaço nós temos e me assegurar de que o chão é seguro de andar - dizendo isso, Gabriela materializou diversos ramos, os quais se multiplicaram para todas as direções possíveis - Aparentemente, só temos uma opção: há um declive à nossa direita que leva ao que parece ser um túnel, com, pelo menos, 500 metros de comprimento. O chão parece firme, mas vamos nos manter juntas para o caso de qualquer tipo de armadilha!
- Nossa, você colheu todas essas informações por meio dos ramos? - disse Sophie, surpresa - Isso é incrível! Agora temos alguma pista do caminho até Florên!
- Parece que sim... mas essa aparente facilidade em encontrar o caminho me deixa preocupada! Então, vamos ser cuidadosas!
- Concordo! Mas precisamos avançar ou então nunca chegaremos lá! - disse Sophie, gentilmente empurrando Gabriela - Com ou sem perigos iminentes, precisamos seguir em frente!
- Você tem razão! Vamos em frente! - respondeu Gabriela, caminhando para o declive e seguindo pelo túnel que ela tinha identificado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou?
Dúvidas? Opiniões?